Alergias? Temos algumas recomendações!

A Primavera está a chegar e com ela, por vezes, chegam também as alergias ao pólen e as rinites alérgicas atacam em força. Sabiam que podem minimizar os sintomas através da vossa dieta? Sim é verdade, e eu vou explicar porquê e como podem tornar a vossa alimentação no vosso  anti-histamínico natural perfeito!

As alergias ao pólen tão comuns nesta altura do ano não são mais do que reações alérgicas no nosso corpo. O pólen é encarado no nosso corpo como um intruso, ativando o nosso sistema imunitário para que este o posso combater e destruir. Para tal uma cascata de reações tem de ocorrer: o nosso sistema imunitário ativa os nossos glóbulos brancos que por sua vez libertam anti-corpos (neste caso IgE) e Histamina, e assim começa a resposta anti-inflamatória.

O que é a Histamina e como funciona?

Histamina é um dos componentes dos glóbulos brancos, mais especificamente dos mastócitos, e a sua principal função é promover uma resposta inflamatória imediata, promovendo a dilatação dos nossos vasos sanguíneos e promovendo a permeabilidade dos mesmos o que facilita a passagem dos glóbulos brancos até ao agente intruso (neste caso o pólen) e combatê-lo. Esta é uma resposta imunológica do nosso corpo, natural e benéfica, mas quando existe um excesso de produção de Histamina e a sua acumulação no nosso corpo, este processo de inflamação não cessa.

Normalmente a Histamina depois de ser utilizada é destruída por enzimas chamadas Diamina Oxidase (DAO) ou Histaminase, que é responsável por reduzir o número de histamina presente no nosso corpo e prevenir a sua acumulação. Se este processo não acontecer e se a exposição ao agente alergénio persistir (como a contínua exposição ao pólen na primavera) vamos continuar a ter uma resposta inflamatória constante e sintomas como congestão nasal, espirros, comichão, prurido, olhos lacrimejantes e edemaciados, irão persistir por mais tempo.

A histamina não está só presente dentro das nossas células, encontra-se também em alguns alimentos que potenciam a sua libertação e que inibem a ação da enzima DAO. Estes alimentos devem ser evitados quando sabemos que os nossos níveis de Histamina estão elevados, como em situações de alergias. Mas felizmente há também alimentos que têm um baixo teor de Histamina e os que promovem a ação das DAO. Estes alimentos funcionam como os nossos Anti-histamínicos Naturais.

Se sofrem normalmente de alergias nesta altura do ano é recomendável que evitem alimentos ricos ou que estimulem a produção de Histamina e favoreçam os alimentos com baixo teor da mesma e assim evitar o excesso e acumulação da mesma no vosso corpo.

Deixo uma lista de alimentos que devem evitar (ricos em Histamina, inibidores da DAO), e outra de alimentos que devem dar preferência ao consumo (baixos em Histamina e potenciadores da DAO)

Alimentos a evitar:

  • Fermentados – sauerkraut, kefir, kombucha, iogurtes, soja;
  • Vinagres – maionese, azeitonas, pickles e todos os tipos de vinagres;
  • Peixe – todos os enlatados; atum, salmão, cavala, sardinhas e mariscos;
  • Carne – especialmente porco e os seus derivados como salsichas, fiambres, salame, bacon;
  • Fruta – Todas as enlatadas, Frescos: morangos, papaia, kiwis, lima, ananás, ameixas, tomates, abacate;
  • Vegetais – feijão verde, ervilhas, beringela, espinafres;
  • Lacticínios – leite de vaca e queijos de longa maturação, incluindo queijo de cabra;
  • Frutos Secos – nozes, cajus e amendoins;
  • Leguminosas – em geral a maioria das leguminosas, especialmente as derivadas de trigo, feijões, soja;
  • Álcool – todo o tipo, cerveja, vinhos;
  • Outros – cogumelos, alho, chocolate, açúcar refinado e açúcares artificiais.
  • Chás – preto, verde e mate (chimarrão)

Alimentos a consumir:

  • Carne – Fresca e de pasto (não são alimentadas a ração rica em trigo ou soja) de preferência aves;
  • Ovos cozinhados
  • Peixe – Fresco e de captura (pela mesma razão que a carne), expecto os mencionados na lista acima;
  • Leguminosas – Sem glúten – arroz, quinoa, millet, amaranto e teff;
  • Frutas – manga, pêra, melancia, maças, uvas;
  • Vegetais – Quase todos com exceção dos mencionados na lista superior;
  • Substitutos dos Lacticínios – leite de côco e de arroz;
  • Chás/ Ervas Aromáticas – Chá de ervas como o por exemplo de dente de leão e camomila, manjericão, tomilho, funcho, salsa, orégãos, gengibre.

Importante:

Relembro que estas listas são apenas um guia de orientação e não devem ser transformados em restrições alimentares absolutas. Se sofre de intolerâncias e alergias aconselho a consultar um especialista – endocrinologista, e um nutricionista para que estes possam personalizar e recomendar o melhor plano alimentar e terapêutico para o seu caso.

Referências:
Histamineintolerance.org.uk
Amy Myers, 2016
Por: Andreia Machado

You may also like

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *